quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

David Bowie - Blackstar (★)

Fala galera!

Falar do Sr. Bowie é sempre complexo.
Não apenas por ser fã do trabalho dele. Mas pela complexidade de seus trabalhos.

Conhecido como o "Camaleão do Rock", não apenas por suas mudanças visuais, mas pela grande quantidade de influências que suas músicas carregam. É difícil conseguir rotular suas músicas.

David Bowie veio a falecer de uma maneira abrupta para o público: sua morte foi declarada em 10 de janeiro de 2016, e apenas familiares sabiam de sua doença, a qual enfrentava a 18 meses.

O disco em questão, "Blackstar (ou ★)", foi lançado em 08 de janeiro de 2016, dois dias antes de sua morte, e no dia de seu 69º aniversário.
Vemos aqui, logo na primeira audição, que é um disco de despedida. Despedida dos fãs e do mundo.

Capa de "Blackstar (★)"

É um som denso, com poucas influências de Rock, propriamente dito. Mas muitas de Jazz, e até Rap.
Letras bem escritas, e complexas, como todo o trabalho de Bowie, citando desde a Bíblia (faixa "Lazarus") e até o filme clássico "Laranja Mecânica (faixa "Girl Loves Me")".

A faixa título, "★", é a mais longa, com quase 10 minutos. Seguida por "'Tis a Pity She Was a Whore (muito visceral, por acaso)", com fortes influências de Jazz. Conta a história de uma mulher que tem um caso incestuoso com o irmão, para depois ser assassinada por ele. Com versos como "Ela segurou meu pau" e "uma pena que era uma prostituta". Uma faixa com uma sonoridade deliciosa, apesar do tom sombrio da letra.


A música "Girl Loves Me", parte da letra é cantada no dialeto Nadsat, a mistura de russo e inglês usada pelos personagens de "Laranja Mecânica".

Mas na minha opinião, as faixas mais claras quanto ao "adeus", são "Lazarus" e "I Can’t Give Everything Away".

"Lazarus", a terceira faixa, Bowie se compara a Lázaro, personagem da Bíblia que morreu e foi ressuscitado por Jesus.
Cantando versos como "olhe aqui em cima, estou no céu", e no final "eu serei livre como aquele pássaro azul", já denota o que ele realmente queria dizer. O clipe mostra Bowie deitado em uma cama de hospital (clipe AQUI).
E "I Can’t Give Everything Away", última faixa do álbum, com certeza é o ponto final. Em tudo.
Letra com trechos "desenho de caveira nos pés", "corações enegrecido e notícias com flores", "Dizer não e significar sim / Isso é tudo que eu quis dizer".


O álbum "Blackstar (★)" nos traz um David Bowie em excelente forma, e diferente de outros artistas, mostra que estava a todo vapor, com ótimas composições e músicas inspiradíssimas, não como alguém no fim de carreira. Uma perda, sem sombra de dúvidas, irreparável.

Segue tracklist:

"Blackstar"
"'Tis a Pity She Was a Whore"
"Lazarus"    
"Sue (Or in a Season of Crime)"
"Girl Loves Me"     
"Dollar Days"   
"I Can’t Give Everything Away"


O legado de Bowie será eterno, como um dos principais gênios da música.
Álbum altamente recomendado! E claro, se quiserem baixar as músicas, fiquem à vontade. Mas o CD original tem um acabamento lindo, edição em digipack, e com detalhes vistos apenas na luz. Coisa de colecionador mesmo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário